Com os dois pés na minha história

Meus bisavós maternos, Luís e Maria Antonieta, vieram como refugiados da Primeira Guerra lá de Veneza para o interior de Minas Gerais. Tiveram que deixar para trás filhos que jamais voltaram a ver, eram analfabetos e não tinham um centavo no bolso. Viveram a vida plantando cana para produzir melado e rapadura. Também plantavam a fruta mais gostosa do mundo, manga ubá, e vendiam toda a produção ainda verde no pé. Minha tia Aparecida conta que a maior tristeza que teve num verão foi a proibição de pegar frutas direito da mangueira carregada, pois já estavam todas prometidas para um cliente.

Read →